O lisianthus, é uma flor que parece uma rosa ou uma papoila, mas não é! O lisianthus, é uma flor muito admirada pelo aspeto aveludado das suas elegantes flores, e que se tornou a oitava flor cortada mais vendida em poucos anos. Embora só tenha sido recentemente descoberta pelos floristas, rapidamente conquistou todos os corações. Descubra, as peculiaridades e os cuidados de que esta flor tão especial precisa e que se tornará uma das suas flores preferidas.

Características do lisianthus

O eustoma ou lisianthus, é uma flor herbácea perene, nativa das regiões quentes dos Estados Unidos, que pertence à família Gentianaceae. É conhecida por diferentes nomes botânicos como eustoma grandiflorum, eustoma russellianum ou lisianthus russellianus. O lisianthus, é uma flor que também é conhecida como «genciana da pradaria».

Lisianthus, a Flor do Romance

O lisianthus, é uma flor herbácea perene que no seu estado natural floresce nos meses de verão, entre junho e setembro. Produzida atualmente em estufas, o lisianthus, é uma flor que está disponível nos floristas durante todo o ano. O lisianthus, é uma flor que cresce formando uma roseta de folhas de cor verde-azulado intenso, sob a qual se desenvolve um caule rígido que pode chegar a medir entre 40 e 60 cm. Capaz de continuar a crescer mesmo depois de cortada, de um só caule podem brotar entre oito e dez botões, os quais não abrem todos de uma vez, mas sim de modo paulatino, por isso podemos desfrutar do seu florescimento durante muito tempo.

Mas o encanto do lisianthus reside sobretudo nas suas magníficas flores formadas por grandes pétalas. A variedade simples desta planta apresenta uma única fila de pétalas leves e delicadas como as flores de papoila, enquanto a dupla é mais exuberante com duas ou três filas de pétalas com uma elegância semelhante à de uma rosa ou peónia. Podemos encontrá-la numa enorme variedade de cores como o branco, cor-de-rosa, verde, laranja, azul ou púrpura, sendo as duas últimas as mais comuns entre as variedades silvestres.

Curiosidade

Os botões são sempre verdes inicialmente e a tonalidade definitiva vai-se manifestando, pouco a pouco, à medida que se completa o processo de florescimento.

Uma flor romântica

O lisianthus, é uma flor que tem vindo a ganhar popularidade no mundo floral graças à sua versatilidade para se adaptar a outras flores de forma harmoniosa em composições de todo o tipo. Para além de oferecer pétalas de muitas cores, o lisianthus é uma flor de corte resistente que traz um toque romântico e campestre tanto aos bouquets tradicionais como aos modernos.

A origem e a história

O lisianthus, é uma flor relativamente nova. Foi descoberta na natureza, no século XIX, nos Estados Unidos no Nebrasca e Luisiana, onde era conhecida como genciana da pradaria. Foi então propagada no Jardim de Glasgow na Escócia, em 1805. As primeiras sementes chegaram à Europa em 1831, mas permaneceram anónimas até 1902 quando apareceram num catálogo alemão.

Foi novamente eclipsada até 1945, quando chegou à Europa através do Japão. O criador japonês Sakata empreendeu um trabalho de cruzamento desta planta e o Japão foi o país em que se desenvolveram os primeiros exemplares híbridos que se comercializam atualmente. Em 1967, apareceu a primeira flor branca.
A partir de 1982, muitas variedades foram desenvolvidas, tanto de flor simples como de flor dupla e com uma vasta gama de cores. A flor reaparece na Europa, particularmente na Holanda, mas muito longe do seu antepassado selvagem americano.
O lisianthus, é uma flor que foi descoberta pelos floristas nos anos 90. Desde então, tem sido uma das flores mais escolhidas para compor quer bouquets requintados quer bouquets de estilo campestre.

Em alguns países como, por exemplo, a Dinamarca, o lisianthus, é uma flor comparada à rosa sendo conhecida como «rosa japonesa».

Significado na linguagem das flores

Etimologicamente, eustoma é uma palavra composta pelos elementos gregos eu – belo ou bom – e estoma – boca. Por isso, o seu simbolismo pode expressar a ideia de uma palavra bem falada, mas também a memória ou promessa de um beijo terno.

O lisianthus, é uma flor muito admirada pelo aspeto aveludado das suas elegantes flores e o seu nome revela-o. A palavra lisianthus vem do grego lisos que significa «macio» e anthos que significa «flor».

O significado das flores varia segundo a cor das pétalas da flor. Em branco, as flores transmitem uma mensagem de agradecimento. Um bouquet de lisianthus cor-de-rosa evoca o amor e o romance.

Cultivo e cuidados do lisianthus

O lisianthus, é uma flor que põe à prova a destreza dos jardineiros mais experientes, pois é uma das flores mais difíceis de cultivar. Leve em consideração os seguintes cuidados básicos para desfrutar do lisianthus em todo o seu esplendor.

O lisianthus no jardim

A plantação num vaso é preferível porque o lisianthus, é uma flor que precisa de calor e humidade e não resiste a temperaturas inferiores a 5°C. Por isso, é difícil cultivar esta planta no jardim, exceto nas regiões do sul.

O lisianthus, é uma flor que necessita de luz, uma temperatura ambiente de aproximadamente 15°C e solo bem drenado. Contudo, demasiado calor ou demasiada luz solar são prejudiciais. Em vaso, pode colocar o lisianthus a meia-sombra se necessário, e abrigá-lo no interior durante os períodos frios.

A sementeira deve ser feita entre novembro e fevereiro. Para jardineiros iniciados não se recomenda a sementeira. A alternativa são as plântulas. Durante o processo de cultivo é necessário transplantar os lisianthus para um vaso maior conforme as flores forem crescendo. O caule destas flores é muito sensível e por isso o transplante deve ser feito com muito cuidado.

Em vasos ou no jardim, um substrato rico em nutrientes e com uma boa drenagem é o segredo para manter as raízes saudáveis.

A rega dependerá da humidade da região, mas, de modo geral, deve ser frequente – 1 a 2 vezes por semana, exceto no verão, quando deverá ser de 3 a 4 vezes por semana. É primordial evitar o encharcamento das plantas e adicionar fertilizante líquido de quinze em quinze dias.
Retire as folhas e flores que começarem a murchar para favorecer o desenvolvimento das plantas.

Cuidados com a flor cortada

Ofereceram-lhe um bouquet de lisianthus? Com uma manutenção adequada, o lisianthus, é uma flor que pode ser conservada entre 10 e 14 dias numa jarra com água. Siga alguns conselhos simples para o seu bouquet de lisianthus durar mais tempo.

Nutrientes – Encha uma jarra limpa com água à temperatura ambiente e junte uma saqueta de nutrientes para flores cortadas seguindo a dosagem adequada. Coloque o seu arranjo de flores na jarra. Troque a água frequentemente, de três em três dias.

Corte – Mantenha as suas flores com regularidade. Para não apodrecer, remova a folhagem que tocar na água. Corte na diagonal aproximadamente 1 a 3 centímetros dos caules. Como o lisianthus, é uma flor que continua a crescer, é aconselhável cortar os novos caules com flores para reduzir o peso e impedir que o caule principal dobre.

Luz e localização – Mantenha a sua jarra num lugar fresco e luminoso para evitar a luz solar direta, as fontes de calor e as correntes de ar. O lisianthus, é uma flor que é sensível ao etileno, por isso, mantenha-o afastado de frutas ou outras flores que libertem este gás.

Composições florais com lisianthus para oferecer

O lisianthus, é uma flor que esconde um significado profundo e positivo, muito apropriado à sua aparência elegante e delicada. Representa os conceitos de gratidão e apreço, pelo que é ideal como presente de agradecimento, de aniversário ou para surpreender e acarinhar os seus entes queridos. Compõe frequentemente arranjos florais para casamentos e é uma das escolhas preferidas para o bouquet de noiva, pois simboliza o «amor eterno». Por serem flores do deserto, os lisianthus florescem nos meses mais quentes do ano. Flores de primavera e flores de verão apresentam uma enorme variedade de coloridos, sendo as flores roxas particularmente surpreendentes.

Dejar una respuesta