O aroma que desprendem e o sabor que dão a muitos pratos fazem com que as plantas aromáticas sejam um ingrediente imprescindível na cozinha de todos os bons foodies. Para todas essas pessoas que amam o sabor, ter uma horta de ervas culinárias em casa é uma enorme sorte. Ouvir palavras como alecrim, salsa, tomilho, manjericão ou menta é suficiente para pensar numa receita deliciosa que, além disso, cheira que regala. Na Interflora queremos revelar-lhe como pode conseguir cultivar as suas plantas aromáticas no interior, quais são as mais apropriadas e as vantagens do seu cultivo, assim como dar-lhe dicas para que a sua horta de ervas aromáticas seja um sucesso.

4 dicas básicas para cultivar ervas aromáticas em casa com êxito

  1. Muita luz. Quanta mais luz, melhor. Este tipo de plantas precisa, como mínimo, de quatro horas. Há inclusive algumas, tais como o manjericão, que precisam de seis horas de luz diária. Daí a dificuldade em mantê-las no interior. No exterior recebem a luz de forma natural, mas em casa temos que procurar esses lugares mais iluminados para oferecer-lhes as suas horas de sol. Tenha cuidado com as temperaturas extremas: nem frio nem calor exagerado.
  2. Boa drenagem. Tal como acontece com muitas outras plantas, as culinárias também aguentam bem o excesso de água. Assim sendo, assegure-se de que o adubo tenha uma boa drenagem. Há incluso algumas que se beneficiam de algum dia de seca, o que torna o seu sabor mais intenso. A propósito, os vasos de barro conseguem uma boa drenagem.
  3. Atenção ao tamanho do vaso. Pode dar a sensação de que as ervas aromáticas se mantêm bem em vasos pequenos, mas este pode ser um dos motivos pelos quais estas plantas morrem. Elas devem ter, no mínimo, um quilo de adubo, inclusive dois. Se não tiver muito espaço, pode aproveitar vasos de pendurar ou jardins verticais para as colocar.
  4. Como plantá-las e organizá-las. Comece por plantas pequenas, em vez de sementes. Na hora de as organizar, faça-o segundo o seu ciclo de vida. Algumas ervas aromáticas são perenes, tais como a lavanda ou a menta. Outras duram dois anos, por exemplo a salsa. Já o manjericão e o endro duram apenas uma temporada. Outra forma de agrupá-las é de acordo com a sua necessidade de água. O manjericão e a salsa combinam muito bem porque requerem bastante água. Já o tomilho combina bem com o alecrim porque necessitam menos rega.
  5. Colha pouco a pouco. O melhor aspeto de ter a sua própria coleção de ervas aromáticas em casa é, sem dúvida, poder utilizá-las como ingrediente nas suas receitas preferidas. A salsa para condimentar carne, o manjericão para o molho pesto ou a menta para os mojitos. Não se esqueça, no entanto, de que é preferível ir colhendo pouco a pouco. Nunca mais de um terço da planta. Além disso, fazer pequenas podas frequentemente favorece o seu crescimento.

Vantagens de ter ervas aromáticas em casa

Imagine que a sua horta é um êxito e já não precisa de voltar a comprar as suas ervas para cozinhar no supermercado. Já parou para pensar no que isso significa? Contamos-lhe algumas vantagens de cultivá-las em casa:

  • Sempre frescas. Respeitando o seu ciclo de vida poderá desfrutar das suas ervas aromáticas sempre frescas, prontas para colher e acrescentar às suas criações culinárias. Esta possibilidade não se pode comparar a usar a sua versão seca.
  • Sempre à mão. A cozinha é o lugar perfeito para ter as suas ervas favoritas à mão. No entanto, deverá eleger os lugares da casa que estejam mais iluminados. Seja como for, estas estarão sempre por perto e, se esse não for o caso, a sua fragância lembrá-lo-á sempre da sua presença.
  • Esse preço tão económico. Nos viveiros poderá encontrar uma ampla gama de variedades de diferentes tamanhos e a preços acessíveis.

4 truques top para amantes das plantas e da cozinha

  • A menta é uma erva aromática muito invasiva. Adoramos o aroma que dá às sobremesas, mas sem que esta ataque as outras ervas. Por isso, deve plantá-la sozinha num vaso, sem a juntar a outras plantas.
  • A salsa é, em conjunto com a menta, uma das ervas aromáticas mais resistentes à vida de interior. Se a sua produção de salsa é intensa, terá sempre a oportunidade de conservá-la para a utilizar mais adiante: mantenha-a fresca no frigorífico, deixe-a secar ou congele-a.
  • O manjericão precisa de muitas horas de luz, pelo menos seis. Não se esqueça de o proteger das mudanças de temperatura bruscas. 
  • Com este último truque descobrirá a vantagem de cultivar várias espécies de ervas aromáticas juntas: os aromas variados que provirão desse vaso conseguirão afugentar qualquer praga. Bom trabalho!

Dejar una respuesta