.

Plantas, costumes e decoração natalícia pelo mundo

A Decoração de Natal depende do gosto de cada um e a nossa é a decoração de Natal melhor do mundo. Mas é certo que em Portugal há alguns padrões comuns que se repetem na ornamentação e costumes: a Árvore de Natal, a Ceia de Natal, o famoso bacalhau, a abertura dos presentes à meia-noite, entre outros. Mas o Natal não se celebra todo da mesma forma em todos os países. Na Interflora, falamos-lhe das flores e plantas de Natal que são protagonistas noutros países. Também lhe contamos algumas tradições curiosas que se vivem fora de Portugal no Natal. Ficará surpreendido com alguns dos costumes natalícios noutros países. Muitas maneiras de celebrar o Natal, tantas quantas pessoas há no mundo.

Flores e plantas de Natal noutros lugares do mundo

Em Portugal, as ramagens do pinheiro - a Árvore de Natal - reinam nas decorações natalícias. Ao pinheiro juntam-se as ramagens de azevinho, de visco e de hera. Com um aroma muito caraterístico, as ramagens de louro e de alecrim completam muitas das composições de Natal como coroas, grinaldas e centros de mesa. O encarnado, branco e rosa das poinsétias é incontornável nesta quadra. Espanha, França, Itália, Inglaterra, Irlanda, Alemanha e a maioria dos países europeus decoram as casas e o Presépio com estas ramagens além de decorarem um pinheiro - a Árvore de Natal. Conheça agora outros costumes e decorações natalícios noutros países.

Nova Zelândia 

Os neozelandeses costumam ornamentar a Árvore de Natal da Nova Zelândia, mais conhecida por Pohutukawa. É uma árvore nativa, sagrada para os Maori, que floresce na época do Natal com muitas flores em forma de bola, vermelhas com espigões brilhantes lembrando uma Árvore de Natal.

Japão

Os japoneses gostam de decorar com Nandina domestica ou bambu sagrado. É uma planta pouco conhecida mas muito apreciada pela sua beleza e muito fácil de cuidar. É ideal para ornamentar centros de mesa graças à sua tonalidade avermelhada, cor típica desta altura do ano.

Ucrânia

Já imaginou substituir as bolas, os enfeites e as fitas por aranhas e teias de aranha? Na Ucrânia acreditam que decorar a árvore com teias e aranhas atrai boa sorte no Natal e durante todo o ano. Por isso, não se assuste de viajar para a Ucrânia na quadra natalícia.

México 

A Flor de Noche Buena - Flor de Natal, também conhecida por Estrela de Natal ou Poinsétia, é originária do México. Os mexicanos celebram a cuetlaxóchitl, o nome original desta flor, no dia 8 de dezembro: Día Nacional de la Flor de Nochebuena. Os festejos natalícios começam no dia 12 de dezembro, com a Festa da Nossa Senhora de Guadalupe. A partir de 16 de dezembro seguem-se as Posadas que culminam nas piñatas em forma estrela de sete pontas e nos dias 24 e 25 de dezembro, as Pastorelas. No século XVII, os monges franciscanos começaram a utilizar a Flor de Natal para decorar a Festa de Santa Pesebre, uma procissão típica do Natal e não há celebração natalícia mexicana em que as poinsétias não sejam as rainhas das flores.

Mesas de Natal e costumes natalícios noutros países

No Natal, as famílias e os amigos reúnem-se à volta das mesas para celebrar. São escolhidos os mais bonitos serviços de jantar que combinam com toalhas, a Coroa de Advento ou arranjos florais e outros pormenores decorativos de Natal. Os doces tradicionais são os protagonistas das mesas de Natal. Em Portugal, as famílias e os amigos reúnem-se à mesa na Noite de Natal ou Consoada. As filhoses, sonhos, azevias e outros fritos são os reis dos doces. Também não faltam o arroz doce, o leite-creme e o bolo-rei. Descubra outros costumes natalícios noutros países.

Espanha 

As festividades natalícias começam dia 22 de dezembro com o sorteio de Natal da Loteria Nacional “El Gordo” em que os números premiados são cantados por crianças. Na Noite de Natal, Nochebuena, os doces - turrón, mazapán, mantecados, polvorones e ainda o Roscón de Reyes - enchem as mesas espanholas. Na noite de 5 para 6 de janeiro, chegam os Reis Magos do Oriente com um desfile pelas ruas - Cabalgata de Reyes - e distribuem caramelos que as crianças apanham com alegria. Depois, vão dormir para descobrir na manhã do dia seguinte os presentes que Melchior, Gaspar e Baltazar deixaram, seguindo-se um Almoço de Natal em família.

França 

A decoração da mesa é presidida pelo bûche de Noël, um bolo em forma de tronco na Noite de Natal. Na Provença, sobre três toalhas brancas, colocam-se três castiçais com velas brancas, o trigo de Santa Bárbara e as 13 sobremesas: nougat branco e nougat preto, os quatro frutos secos (nozes, amêndoas, uvas passas e figos secos) que representam as ordens mendicantes (Franciscanos, Dominicanos, Agostinianos e Carmelitas), o gibassier, um pão feito à base de azeite e aromatizado com essência de flor de laranjeira, marmelada, frutas cristalizadas, uvas laranjas e outras frutas frescas, melão de Natal, calissons d’Aix en Provence e as navettes de Marseille.

Itália 

Os italianos também gostam de ornamentar a mesa no Natal. Neste caso, o doce protagonista é o panettone, um bolo com passas e frutas cristalizadas ou o pandoro, um bolo coberto com uma capa fina de açúcar.

A Mesa de Natal é onde todos se reúnem para celebrar o espírito natalício. Para o honrar a mesa é o expoente da beleza máxima expressa pelas tradições gastronómicas sobre as mais bonitas toalhas ornamentadas com coroas e arranjos de ramagens e flores de natal.

Costumes natalícios noutros países que nos surpreendem

Noruega 

Os noruegueses celebram o Natal com vassouras. Segundo a tradição, nos dias que antecedem o Natal, os espíritos vagueiam pelo mundo. Para proteger as suas casas destes espíritos, os noruegueses escondem as suas vassouras na Noite de Natal antes de ir dormir. Assim, os espíritos não as levam.

Japão 

A nossa viagem em busca de tradições curiosas de Natal termina no Japão, onde os japoneses preferem celebrar o Ano Novo. Em inícios de dezembro dedicam-se a uma limpeza profunda que inclui a renovação do guarda-roupa. No Ōmisoka ou ōtsugomori, o último dia do ano, costumam comer em família as tradicionais taças de massa, símbolo de longevidade. A celebração nipónica estende-se até 4 de janeiro.